Com seu chip presente em grande parte dos smartphones, a americana Qualcomm anseia pela chegada da quinta geração de serviços móveis (5G), que poderá mais que triplicar a presença de sua tecnologia em diversos dispositivos, de celulares a computadores, automóveis, internet das coisas (IoT, na sigla em inglês) etc.

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou a escolha da Qualcomm em junho para montar no Brasil um fundo para acelerar startups de IoT. O fundo receberá R$ 160 milhões em recursos, podendo chegar a R$ 200 milhões.

A Qualcomm e o BNDES são âncoras do fundo, com 25% de participação, cada. Os demais 50% estão sendo captados no mercado. O fundo será gerido pelo Indicator Capital, que terá apoio da companhia e do banco de fomento para validar as startups do ponto de vista tecnológico, diz Alexandre Arantes Vilela, diretor sênior da Qualcomm Technologies e diretor administrativo da Qualcomm Ventures — braço de investimento em venture capital e semicondutores.

Vilela prevê que a captação seja concluída entre o fim do ano e o primeiro trimestre de 2021, quando começará a operar.

O objetivo do fundo é investir em 14 empresas novatas de IoT. Os alvos são empresas iniciantes, série A ou capital semente. O primeiro investimento em cada uma deverá ser de R$ 3 milhões a R$ 4 milhões. Mas estão previstas outras rodadas de aportes para os negócios que tiverem bom desempenho, diz o executivo.

A Qualcomm Ventures tem investimento em 160 empresas no mundo e está presente em sete países, inclusive o Brasil, desde 2012.

Fonte: https://valorinveste.globo.com/objetivo/empreenda-se/noticia/2020/07/31/fundo-montado-por-bndes-e-qualcomm-para-acelerar-startups-deve-comear-a-operar-em-2021.ghtml